artweekendsp e revista select promovem circuito de conversa gratuito no Shopping JK Iguatemi

artweekendsp e revista select promovem circuito de conversa gratuito no Shopping JK Iguatemi

O Talk "As vantagens de ser uma artista mulher" abre a programação do Art Weekend São Paulo na sexta às 17h

Os Talks Art Weekend São Paulo são outra novidade desta 4ª edição. Com curadoria da revista seLecT, eles acontecerão nos três dias de evento e, na companhia de convidados especiais, abordarão temas como equidade de gênero no cenário das artes visuais, preservação do patrimônio cultural brasileiro e multidisciplinaridade artística. Confira abaixo!

Curadora: seLecT
Local: Espaço Cubo JK – Shopping JK Iguatemi
Endereço: Avenida Pres. Juscelino Kubitschek, 2041
Entrada gratuita

TALK 1evento de abertura

8/11 | 17h

As vantagens de ser uma artista mulher

Depois de décadas de debates e práticas feministas na arte, a maioria dos profissionais ativos nos circuitos brasileiro e internacional continua sendo masculina – além de branca e euro-americana. A discriminação reincide em várias esferas do sistema: cargos em instituições, representação em galerias, cotações de preços de obras em leilões, inclusão em coleções, presença em grandes mostras coletivas ou individuais. A mesa de abertura dos Talks – que se apropria do título de um trabalho das Guerrilla Girls, coletivo de artistas anônimas que dedicam sua obra a combater o machismo e o sexismo no mundo da arte – convida três profissionais a ponderar em que medida a lógica da disparidade começa a mudar.

Sonia Gomes é artista, representada pela Mendes Wood DM. Sua poética compreende esculturas e instalações feitas a partir de matérias com memórias. Em 2018, teve suas primeiras grandes monográficas no Brasil, no MASP e no MAC Niterói.

Juliana Sá é diretora estatutária do MASP. Atuou no museu durante quatro anos como Diretora Jurídica e de Relações Institucionais e membro do Conselho Deliberativo, tendo participado ativamente do processo de reestruturação da instituição.

Eliana Finkelstein é sócia-diretora da Galeria Vermelho. No início da carreira, trabalhou no setor de publicidade na McCann-Erickson e na Futura.

Mediação de Paula Alzugaray. Curadora independente e editora-chefe da revista seLecT.

 

TALK 2

9/11 | 11h

A arte do cuidado 

Por muito tempo, nos resignamos a entender o Brasil como um país sem memória e sem respeito à cultura. Os dez grandes incêndios em importantes instituições culturais ocorridos nos últimos dez anos são uma confirmação dessa máxima. Um ano e dois meses após o fogo destruir 90% do acervo do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, as promessas governamentais para sua recuperação não saíram do papel. Alguns de nossos melhores quadros de profissionais da arte, entre colecionadores, curadores e gestores, têm mostrado que, para preservar nossa memória, é preciso, além de técnica e recursos, o verdadeiro amor à arte.

Beatriz Yunes Guarita é colecionadora e responsável pela Coleção Ivani e Jorge Yunes. Desenvolve um programa de patrocínios que inclui a Pinacoteca de São Paulo, o Museu de Arte Moderna de São Paulo e o Instituto Tomie Ohtake.

Pedro Barbosa é colecionador de arte, membro do Latin America and Caribbean Fund do MoMA de Nova York e membro do Conselho Consultivo da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foi diretor da Fundação Bienal de São Paulo de 2009 a 2011.

Maria Ignez Mantovani é Professora Dra. em museologia, fundadora e diretora da EXPOMUS, empresa que atua desde 1981 em projetos de natureza museológica no âmbito social, cultural, científico, tecnológico e do meio ambiente.

Ricardo Resende é curador do Museu Bispo do Rosário (RJ) e da Fábrica de Arte Marcos Amaro (Itu, SP) e coordenador do Projeto Leonilson. Tem carreira centrada na área museológica, tendo atuado na direção do Centro de Artes Visuais da Funarte (2009-2010) e do Centro Cultural São Paulo (2010-2013).

Mediação de Luana Fortes. Jornalista e curadora. Repórter da revista seLecT e integrante do Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake.

TALK 3

10/11 | 11h

Deslimites entre arte, literatura, música, cinema e tecnologia 

Do cinema e da escultura em campos expandidos, nos anos 1960, até a pós-produção, o remix e a montagem mash-up dos 2000, a prática artística contemporânea é uma longa conversação sobre os limites, os deslimites e as extremidades entre as linguagens. Hoje as práticas híbridas pautam também o modo experimental que as galerias e as instituições estão lidando com seus espaços expositivos. A terceira e última mesa dos Talks convida uma artista, uma curadora e um gestor cultural a considerar os novos meios de produção e exibição na paisagem tecnológica contemporânea.

Mariana Manhães é artista, representada pela Central Galeria. Sua poética compreende máquinas, esculturas, desenhos, instalações, vídeos e outras coisas inomináveis.

Mirtes Marins de Oliveira é crítica e curadora. Atua como pesquisadora no PPG Design-UAM. Curadora da exposição Comigo Ninguém Pode, na Galeria Jaqueline Martins.

João Fernandes é diretor artístico do Instituto Moreira Salles. Foi diretor do Museu de Serralves entre 2003 e 2012 e sub-diretor do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri, entre 2012 e 2018.

Mediação de Daniela Bousso. Curadora, crítica de arte e gestora cultural. Foi diretora do Paço das Artes (SP) entre 1997 e 2011. É colaboradora da revista seLecT.

Rolar para cima